Despesas não licitadas e a utilização de recursos em ações administrativas alheias à natureza do Fundo de Desenvolvimento e Valorização do Magistério contribuíram para a desaprovação, por maioria de votos, das contas de 2006 apresentadas pelo prefeito de Gurjão José Carlos Vidal. O TCE decidiu, majoritariamente, que ele deve repor ao Fundef, com recursos da própria Prefeitura, a importância de R$ 6.776,92.

O prefeito de Juripiranga Antonio Maroja Guedes Filho também teve as contas de 2006 desaprovadas pelo Tribunal, na sessão plenária desta quarta-feira. Contribuiu, para tanto, o não recolhimento de parte das contribuições previdenciárias devidas pela Prefeitura.

Tiveram suas contas aprovadas a Câmara Municipal de Jericó (exercício de 2006) e o Complexo Hospitalar de Doenças Infecto-Contagiosas Clementino Fraga (2005).